quinta-feira, 9 de junho de 2011

MÁRIO DE SÁ CARNEIRO

                

MÁRIO DE SÁ CARNEIRO (em carta a Fernando Fonseca pouco antes de se suicidar): "Hoje vou viver o meu último dia feliz. Estou muito contente. Mil anos me separam de amanhã. Só me espanta, em face de mim, a tranquilidade das coisas... que vejo mais nítidas, em melhor determinados relevos porque as devo deixar brevemente. (...O Perdoe-me não lhe dizer mais nada: mas não só me falta o tempo e a cabeça como acho belo levar comigo alguma coisa que ninguém sabe ao certo, senão eu. Não me perdi de ningém: perdi-me de mim, mas fiel aos meus versos:

"Atapetemos a vida
"Contra nós e contra o mundo..."

"Apreito-a sobretudo contra mim - mas que me importa se eram densos os tapetes, tão roxos, tão de luxo e festa...:

Postado por Daniel Costa

1 comentário:

Marcia disse...

Meu querido vim ler belos pensamentos,aprender e me inspirar ,amo quando chegas um beijo grande!