terça-feira, 30 de setembro de 2014

MÁRIO SACRAMENTO

 
MÁRIO SACRAMENTO: "E por aí se nos abre a presença física da morte, negando tudo o que a imaginação ociosa capricha em angustiar sobre ela. A célula concentra-se para o choque derradeiro e cospe uma saliva azeda, mas sempre fremente de vida. A morte surge materializada em autenticidade e é simples  e humilde, então."
 
Postado por Daniel Costa

1 comentário:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

A Morte sem mistérios. Gostei.
Beijo*